2009-02-22

Deixada para trás

"Por quê o tempo é tão cruel?
Por quê as pessoas querem tanto se tornarem adultas?"

Aquelacoisa tinha medo de ser deixada para trás
Enquanto todos à sua volta avançavam
ela continuava no mesmo lugar que sempre esteve.

Todas as pessoas dizem "Adeus" com um sorriso no rosto
Mas quantas despedidas ela poderá aguentar?

Aquelacoisa ficava atrás apenas assistindo
Enquanto todos à sua volta desapareciam
ela continuava a enlouquecer diante da sua insignificância.

Prestes a explodir enquanto esperava que alguém lhe falasse palavras de conforto
Decidiu que nada mais fazia sentido em evitar o inevitável
Inevitável esse que apenas fazia com que ela se sentisse mais frágil ainda.

A frágil luz dos seus pensamentos ia lentamente desaparecendo conforme sua fraca vontade de seguir adiante morria
Um dia, ela esperava que um golpe de misericórdia fosse dado por alguém importante
Mas um ato tão gentil como esse parece ser difícil de se encontrar hoje em dia

"Um dia você vai conseguir"

Um comentário:

Paulo "Squall" disse...

O inerente ao espírito humano: solidão. Junto com o egoísmo, a palavra mais deturpada de todas.

Mas, nada mais é, tal texto, do que um reflexo à magnitude que pode ser a solidão. Como também, para as almas fracas, a mais mortífera das feras.
E a solidão, certamente, não tem nada a ver com a "paz da alma" a qual os cristãos tanto perseguem... Nada é menos o objeto da nossa vontade que o gado moral e a felicidade gorda da consciência tranquila. Certo, em muitos casos a paz da alma é apenas um mal entendido, então não é nada que se possa ser proferido honestamente.
Paz da alma se encontra na solidão, mas não é uma visão mórbida de um velhinho tranquilo numa cadeira de balanço. Seria o intervalo de mais uma guerra, talvez uma breve trégua. - Quem renúncia à guerra, renúncia a grande vida!

Não deve ser santo assistir a vida, enquanto o mundo externo a move com seus fortes braços. Ora, decerto há uma grande populaça que apenas é dominada, não tem controle sobre sua própria vida ou sobre sua própria morte. Mas, convenhamos que estamos simplesmente presos a este sistema de cadeias, onde devemos dominar uns aos outros... O principal: Devemos dominar a nós mesmos, bestas selvagens.